sexta-feira, 13 de março de 2009

SONETO DA MORTE

Alegra um ser com o sopro da vida Vivências, amores e dissabores Um destino cheio de teus valores Pergunta-te então: - Onde é a saída? Anseia, pois, pela tua partida Mesmo que desencarnar traga horrores Mesmo que Hades inspire seus cantores Pergunta-te então: - Onde é a saída? Perdida estás, Alma, em tua tristeza Te compraz tudo que traz esperança A palidez dela à tua beleza E sua eterna paz sempre desprezas Pergunta-te então em tom de cobrança E Ela ainda é tua maior certeza Adriano Melo